01 Out
O vinho como remédio
Por: Humberto Vieira

Muito tem se falado sobre os benefícios que uma taça de vinho durante as refeições pode trazer no uso diário e moderado.

Algumas pesquisas dizem que quem degusta a bebida todos os dias tem mais possibilidades de controlar a hipertensão; prevenir ataques cardíacos; aumentar o colesterol bom (HDL) e reduz o mau (LDL); retardar o envelhecimento celular; ou mesmo diminuir os riscos de desenvolver doenças como resfriados, gripes e até o câncer. Outras apontam que quem consome a bebida é mais inteligente, apresentando coeficientes de inteligência mais expressivos.

A percepção de que o vinho poderia também ser um remédio surgiu a partir dos anos 90, com a divulgação da pesquisa do cientista francês Serge Renaud, denominada de o Paradoxo francês . Apesar de os franceses fumarem muito e consumirem a mesma quantidade de gorduras que os norte-americanos, o pesquisador demonstrou que na França registravam-se 2,5 vezes menos mortes por doenças coronarianas em comparação com os Estados Unidos.

Sem exageros: essa é uma máxima importante que envolve quase tudo na vida, principalmente quando falamos de consumo de bebidas alcoólicas.

O bom uso do vinho – tanto tinto como branco – deve respeitar tal princípio. Com moderação, é possível extrair o que há de melhor desta bebida que acompanha a história da humanidade há milhares de anos. Um brinde ao vinho.

Fonte: Os Vinhos


Humberto Vieira
Humberto Vieira

Texto por Restaurante Diparma Originale


separador
Leia também:
> VER LISTA DE POSTS


Av. Senador Filinto Muller, 788 - Duque de Caxias - 78.043-400 - Cuiabá - Mato Grosso
Copyright © 2011 - Todos os direitos reservados a Diparma